CCI

Educação Infantil e Ensino Fundamental

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Buscar no site
Facebook Twitter Google+ Instagram Gmail PositivoON

Área restrita


Acesso Rápido

Leitura - um hábito saudável...

...dentro e fora da escola

Muitos pais se preocupam com a falta de vontade de ler de seus filhos. Dizem que eles só abrem um livro quando não há mais nenhum jeito de escapar. Ler sem ser obrigado pela escola, nem pensar! O que fazer? Em encontros com pais, costumamos perguntar sobre que exemplos de leitura seus filhos têm em casa. Não estamos falando de “conselhos”, estamos falando de exemplos. Será que os pais mostram que valorizam a leitura de jornais, revistas ou livros? Será que o filho é capaz de perceber os efeitos benéficos que a leitura pode trazer?

Ler jornais ou revistas nos deixa mais informados a respeito do mundo em que vivemos, ler literatura nos faz “viajar” sem sair de casa, permitindo-nos conhecer, por meio das histórias, outras maneiras de lidar com os problemas da vida, ampliando nossa visão de mundo. A leitura não dá respostas para nossos problemas, mas ajuda-nos a pensar melhor sobre eles, estimula-nos a refletir. E isso nos ajuda a amadurecer, a crescer.

Os pais não devem obrigar o filho a ler. Isso não funciona. O que eles devem fazer é servir de exemplo. Devem também se interessar pela leitura do filho, procurando conversar sobre o que ele está lendo. A leitura será sempre mais enriquecedora se for seguida de uma conversa sobre o que foi lido. Mesmo com crianças pequenas é possível fazer isso, chamando a atenção para aspectos que elas talvez não tenham percebido ou pedindo que falem sobre aquilo de que gostaram ou não. O livro deve se transformar num ponto de encontro entre pais e filhos, estimulando o diálogo entre eles.

Não se pode esperar que a escola faça isso. Os professores podem ajudar, mas dificilmente vão modificar o comportamento que os alunos trazem de casa. Além disso, os jovens não devem ler só o que a escola manda. Os pais podem procurar outros livros, de diferentes assuntos, em bibliotecas, livrarias ou mesmo em sebos (lojas de livros usados). Não é preciso ler muitos livros. O que interessa é a qualidade da leitura e não a quantidade de livros. Mas é preciso certa regularidade, para que o gosto se desenvolva. Como se vê, ajudar o filho a gostar de ler também faz parte da educação que os pais devem dar. Exige esforço, interesse e dedicação. Mas vale a pena. Incentivar o filho a ler é um ato de amor.

 

                                          

 

 

© Copyright 2000 Todos os Direitos Reservados - CCI, CCI Sênior & CLAT
QN - Samambaia/DF - CEP 72.319-502
Telefones: (61) 3048.8200 / (61) 3048.8205 / (61) 9115-5707

Facebook Twitter Google+ Instagram Gmail PositivoON